Se você é a favor da extinção do IPVA, assine AQUI.

0
1016

IPVA: Governo não cobrará mais impostos de veículos no Brasil? Entenda essa proposta

Quem estuda tributação sabe que impostos só podem incidir sobre renda, patrimônio ou consumo.

Os veículos são tributados pelo ICMS e pelo IPI porque são bens de consumo, classificados como mercadorias (pelo ICMS) e produtos industrializados (pelo IPI). Sendo tributados como bens de consumo (ainda que duráveis) não podem sofrer tributação do IPVA como se fossem patrimônio, pois o objeto de tributação ou é bem de consumo ou não.”

O IPVA é um imposto profundamente injusto. Os veículos automotores são essenciais às atividades humanas e geram diversos outros impostos sobre sua manutenção, como já exposto naquelas matérias.

Uma inequívoca demonstração dessa injustiça se verifica, por exemplo, quando ele é cobrado de pessoas que atuam como motoristas do Uber ou similares.

Tal atividade hoje garante a sobrevivência de milhares de trabalhadores em todo o país, numa época em que o desemprego é uma grande tragédia. Ao considerarmos que se cobra 4% do valor do carro, isso pode representar um mês inteiro ou mais ainda do rendimento líquido dessas pessoas!

O preço dos automóveis embute cerca de 50% de tributos entre IPI , ICMS, IPVA, Cofins, PIS, Contribuição Social, licenciamento, IOF no financiamento e nos seguros etc. Mas quem compra automóvel paga tributos para usá-lo também.

Além de pagar IPVA todo ano, tributam-se o consumo de combustíveis, as despesas com manutenção, as peças, pneus etc. Automóvel é quase uma outra família e representa fonte inesgotável de tributos para o país.”

Devido a isso, uma ideia legislativa está presente no portal e-cidadania do Senado Federal em votação, a meta é atingir 20 mil apoiadores para que a ideia se torne uma projeto a ser discutido no senado.

Se você é a favor da extinção do IPVA, visite o portal e-cidadania e de seu apoio.

Clique aqui para apoiar essa idéia.

https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=75955

Compartilhe essa matéria nas redes sociais para que mais pessoas possam apoiar essa ideia.