Palocci diz para Gleisi e petistas: “Vão continuar fingindo que Lula é honesto?” VEJA AQUI

0
107

Esta semana, o ex-presidente Lula foi condenado pela segunda vez na Lava Jato. Desta vez, no caso do sítio de Atibaia. A soma de penas impostas ao petista nas duas condenações, incluindo a do triplex do Guarujá, somam mais de 24 anos. Lula ainda é réu em outras cinco ações penais e suas condenações podem ultrapassar 100 anos.

Logo que optou por delatar os esquemas criminosos do ex-presidente Lula e de outros integrantes do PT, o ex-ministro Antonio Palocci divulgou uma carta endereçada à presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, na qual questiona o cinismo dos ex-companheiros:

“Até quando vamos fingir acreditar na autoproclamação do “homem mais honesto do país” enquanto os presentes, os sítios, os apartamentos e ate’ o prédio do Instituto (!!) são atribuídos a Dona Marisa?

Desde então, Palocci vem se dedicando a enterrar a seita de fanáticos que insistem na narrativa de que Lula é um santo. Palocci tem autoridade para desmascarar petistas que ainda insistem em defender o indefensável. Como fundador do PT, auxiliar direto e administrador de negócios do ex-presidente Lula durante mais de 30 anos, Palocci é a única voz do partido que teve a coragem de demolir a farsa sustentada por Lula e seus subordinados. E é exatamente isso que Palocci faz em sua carta à Gleisi e ao partido. Acompanhe alguns trechos abaixo:

“De qualquer forma, quero adiantar que, sobre as informações prestadas  (compra do prédio para o Instituto Lula, doações da Odebrecht ao PT, ao Instituto e a Lula, reunião com Dilma e Gabrielli sobre as sondas e a campanha de 2010, entre outros) são fatos absolutamente verdadeiros. São situações que presenciei, acompanhei ou coordenei, normalmente junto ou a pedido do eae—Presidente Lula. Tenho certeza que, cedo ou tarde, o próprio Lula irá confirmar tudo isso, como chegou a fazer no ”mensalão”, quando, numa importante entrevista concedida na França, esclareceu que as eleições do Brasil eram todas realizadas sob a égide do caixa dois, e que era assim com todos os partidos. Naquela oportunidade ele parou por aí, mas hoje sabemos que e’ preciso avançar na abertura da caixa preta dos partidos e dos govemos, para o bem do futuro do país.

Ressalto que minha principal motivação nesse momento e’ que toda a verdade seja dita, sobre todos os personagens envolvidos.

Resultado de imagem para PALOCCI GLEISI LULA

Sob o ponto de vista político, estou bastante tranquilo em relação a minha decisão. Falar a verdade e’ sempre o melhor caminho. E, neste caso, não posso deixar de registrar a evolução e o acúmulo de eventos de corrupção em nossos governos e, principalmente, a partir do segundo governo Lula.

Vocês sabem que procurei ajudar no projeto do PT e do presidente Lula em todos os momentos. Convivi com as dificuldades e os avanços. Sabia o quanto seria difícil passar por tantos desafios políticos sem qualquer desvio ético. Sei dos erros e ilegalidades que cometi e assumo minhas responsabilidades. Mas não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política no melhor dos momentos de seu govemo. Com o pleno emprego conquistado, com a aprovação do governo a níveis recordes, com o advento da riqueza (e da maldição) do pré—sal, com a Copa do Mundo, com as Olimpíadas, ”0 cara”, nas palavras de Barack Obama, dissociou-se definitivamente do menino retirante para navegar no terreno pantanoso do sucesso sem crítica, do “tudo pode”, do poder sem limites, onde a corrupção, os desvios, as disfunções que se acumulam são apenas detalhes, notas de rodapé no cenário entorpecido dos petrodólares que pagarão a tudo e a todos.

Alguém já disse que quando a luta pelo poder se sobrepõe a luta pelas ideias, a corrupção prevalece. Nada importava, nem mesmo o erro de eleger e reeleger um mau governo, que redobrou as apostas erradas, destruindo, uma a uma, cada conquista social e cada um dos avanços econômicos tão custosamente alcançados, sobrando poucas boas lembranças e desnudando toda uma rede de sustentação corrupta e alheia aos interesses do cidadão. Nós, que nascemos diferentes, que fizemos diferente, que sonhamos diferente, acabamos por legar ao país algo tão igual ao pior dos costumes políticos.

ANTONIO PALOCCI

Fonte: www.imprensaviva.com

VEJA TAMBÉM:

”Abriu as portas do inferno”: Delegado de Polícia Federal sobre nova delação de Palocci

Exclusivo! Delação de Antonio Palocci põe TV Globo na mira da Lava Jato