No leito de morte, mulher escreve carta para o marido que a traía

1
5757

“Embora eu tenha te amado por tudo que você fez, eu não vou deixar você dizer que me ama. Nem quando me trouxer flores”

Uma mulher não identificada publicou uma carta no site do jornal britânico The Guardian endereçada ao marido. O texto tem emocionado os internautas pelo seu conteúdo: o que poderia ser uma carta de amor, é uma despedida honesta e dolorida.

No leito de morte, e com a ajuda dos amigos, ela assumiu para o marido que sempre soube das traições dele, ainda que o assunto nunca tenha sido discutido entre os dois. Em um dos trechos mais emocionantes, a mulher assume que viveu bons tempos com o marido, mas que agora, ao morrer, precisa que ele a respeite e não diga que a ama.

A doença que ela sofre não é citada no texto. Confira a íntegra da carta:

Estou deitada na cama deste hospital por 24 horas esperando sua confissão de leito de morte. Tenho certeza que não vai vir. Você não vai aliviar sua consciência me dizendo a verdade, porque eu sei agora que você não tem uma.

Nós dois sabemos que é uma questão de dias. Depois de todos os tratamentos, chegamos a esse prognóstico: isso é tudo o que tenho.

Com a ajuda de amigos, escrevi meu testamento. Você se beneficiará da minha morte: eu lhe deixei a casa, mas você não receberá dinheiro. Para esses amigos e parentes que me deram alegria, decidi mostrar meu carinho deixando algum dinheiro para os filhos deles. O restante irá para o hospício local.

Você me olhou nos olhos e segurou minha mão firmemente enquanto eu puxava as cobertas em agitação, enquanto nós resolvíamos meus arranjos de funeral. Estou certo de que você vai segui-los. Você fez uma promessa que eu sei que você não vai deixar de cumpri-la. Sim, meus desejos são um pouco incomuns, mas eu quero que as pessoas se lembrem de minha passagem como eu sou: única!

Agora que tudo o que está resolvido, eu lhe dei tempo suficiente para admitir o que você encobriu quase todo o tempo em que vivemos juntos. Eu não tenho a energia para perguntar-lhe diretamente, porque eu sei que você vai negar que o nosso relacionamento tem sido mutuamente exclusivo. Por algum motivo, você negou totalmente quando eu o desafiei. Eu só posso supor que você acha que iria me machucar demais. Isso me machucou demais quando encontrei meu marido com minha melhor amiga – achei que você queria o mesmo futuro que eu. Obviamente não. Quando você entrou em cena, meu corpo não era mais meu. Era difícil te dizer que o sexo já não tinha o fascínio que uma vez teve. Ficamos confusos por um tempo, então você pareceu concordar com isso: nós éramos melhores amigos, isso foi suficiente.

Você me ajudou através de todos os meus tratamentos sem pestanejar, e me acompanhou em todas as minhas consultas, se metendo quando você sentia que algo estava sendo feito de errado. Fiquei emocionada por sua atenção; Tínhamos algo especial.

Você não tem ideia de que eu sei, mas foram tantas as histórias de pessoas vendo você na companhia de uma mulher. Você não foi tão inteligente quanto imaginou: as descrições dela sempre batiam, era coincidência demais. Eu não acredito que ela não sabe da nossa situação.

Eu nunca abandonei o barco porque nós nos ajudamos nos momentos ruins. Por isso, por manter o fluxo e por todas as bondades que você me mostrou ao longo dos anos, sou grata. Você tentou tanto esconder sua transgressão, mas é inegável: tivemos uma boa vida juntos. Estivemos em lugares que nunca pensei que estaria.

Mas (e sempre tem que haver um), embora eu tenha te amado por tudo que você fez, eu não vou deixar você dizer que me ama. Nem quando me trouxer flores. Porque você não me ama, certo? Por extensão, nem ela você ama. Nós dois sempre soubemos que teria um fim. Eu conheço você e ela não vai durar — sua pequena consciência (como ela é) não vai permitir. Se ela se acabar e não aguentar, que seja: é o que ela merece. Assim como minhas consolações.

Adeus,

VEJA TAMBÉM:

Escolha bem a tua dama, é ela quem te representa. LEIA AQUI

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.