Ministra Cármen Lúcia AMEAÇA: “Ou é a democracia ou é a guerra”

0
1614
Brasília(DF), 17/12/2015 - STF retoma o julgamento sobre rito do impeachment de Dilma Foto: Daniel Ferreira/Metrópoles

A presidente do Supremo Tribunal Federal-STF ministra Cármen Lúcia, disse durante a abertura do 10º Encontro Nacional do Poder Judiciário em Brasília, na manhã desta segunda-feira (5), que o país vive um momento particularmente grave e que o Judiciário precisa dar respostas à sociedade.

 “Há uma enorme intolerância com a falta de eficiência do Poder Público que nos leva a pensar como é que temos de agir para que a sociedade não desacredite no Estado, uma vez que o Estado democrático previsto constitucionalmente parece ser até aqui a nossa única opção. Ou é a democracia ou a guerra. E o papel da Justiça é exatamente pacificar.”

Ou a sociedade acredita numa ideia de Justiça que vai ser atendida por uma estrutura estatal e partimos para um marco civilizatório específico ou a sociedade deixa de acreditar nas instituições e por isso mesmo opta pela vingança. Nós não esperamos que a sociedade em algum momento precise desacreditar, a tal ponto que resolva fazer justiça pelas próprias mãos, que nada mais é que exercer a vingança, que é a negativa da civilização.”