CRIME: Laudo mostra que piloto de Eduardo Campos foi envenenado

0
127031
Foi divulgado o resultado do laudo dos exames toxicológico e histopatológico do empresário Paulo Cesar de Barros Morato. Paulo foi morto envenenado com chumbinho, substância comumente utilizada para matar ratos.
“Na época do trágico acidente, levantou-se a hipótese de que o político tinha sido vítima de assassinado devido seu crescimento em popularidade. Até hoje a polícia não conseguiu descobrir se Campos foi vítima de uma fatalidade ou de um crime. ”
A Polícia Científica de Pernambuco ainda não sabe dizer se o empresário ingeriu o organofosforado voluntariamente para provocar o suicídio ou se foi assassinado consumindo algo envenenado. A polícia civil aguardará o resultado dos demais exames solicitados para anexarem-os ao inquérito policial e concluir se o empresário se suicidou ou foi assassinado.
A polícia informou que ainda aguarda as imagens de segurança do momento em que Paulo estava hospedado no motel, bem como o resultado da tanatoscópica, papiloscopia e perícia do local onde o corpo do empresário foi encontrado.

Investigação criminal

A polícia federal realiza a Operação Turbulência, que visa apurar crimes de lavagem de dinheiro na campanha do ex-governador de Pernambuco e ex-candidato à presidência da república do Brasil, Eduardo Campos.
Até o momento, quatro pessoas foram presas durante as investigações que apontam que Eduardo e o senador Fernando Bezerra Coelho receberam propina do dono do avião, que pode ser Morato. Paulo César estava foragido da justiça. Quando foi encontrado em Pernambuco, o mesmo já estava sem vida.
A empresa apontada como de propriedade de Morato, é investigada por receber um valor milionário da construtora OAS, que já teve executivos condenados na Lava Jato por desvio de dinheiro da Petrobras.

Acidente que matou o político

Eduardo Campos morreu em um acidente de avião durante sua campanha eleitoral de 2014. Na época o candidato crescia nas pesquisas oficiais, oscilando entre o segundo e terceiro lugar em uma disputa direta com Dilma Rousseff e Aécio Neves. Após o acidente, sua candidata a vice presidente, Marina Silva, assumiu sua campanha pelo partido.
Na época do trágico acidente, levantou-se a hipótese de que o político tinha sido vítima de assassinado devido seu crescimento em popularidade. Até hoje a polícia não conseguiu descobrir se Campos foi vítima de uma fatalidade ou de um crime. Morato era visto como alguém que poderia desvendar esse mistério. A polícia não conferiu informações sobre os próximos passos das investigações.